História

Em 1837, em Belém, próximo ao Mosteiro dos Jerónimos, numa tentativa de subsistência, os clérigos do mosteiro puseram à venda numa loja precisamente uns pastéis de nata. Nessa época, a zona de Belém ficava longe da cidade de Lisboa e o seu acesso era assegurado por barcos a vapor. A presença do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém atraíam inúmeros turistas que depressa se habituaram aos pastéis de nata.

Na sequência da revolução liberal de 1820, em 1834 o mosteiro fechou. O pasteleiro do convento decidiu vender a receita ao um empresário português vindo do Brasil.

No início os pastéis foram postos à venda numa refinaria de açúcar situada próximo do Mosteiro dos Jerónimos. Em 1837 foram inauguradas as instalações num anexo, então transformado em pastelaria. A receita, transmitida e exclusivamente conhecida por mestres pasteleiros Portuguese que os fabricam artesanalmente, mantém-se igual até aos dias de hoje.

A casa da Natas traz a mesma tradição para o Brasil, e comercializa no Rio de Janeiro os famosos pasteis de nata de Portugal.

Hoje para além do tradicional pastel de nata, desenvolvemos o pastel de nata com bacalhau e outros.